Paysandu vence fácil o Clube do Remo no primeiro Re-Pa do ano

Na tarde deste domingo, dia 17, Clube do Remo e Paysandu disputaram o primeiro clássico Rei da Amazônia nesta temporada. O resultado foi surpreendente, até porque muitos esperavam equilíbrio como é de costume nos duelos entre ambas as equipes. Ainda mais surpreendente foi a facilidade que o Papão teve dentro de campo. 

O Paysandu venceu por 3 a 0, com dois gols de Paulo Rangel, porém, o que se viu dentro de campo poderia ser um resultado ainda maior para o lado bicolor. Tanto que o goleiro Vinícius, do Remo, mais uma vez foi o principal jogador. Já do outro lado, o arqueiro Mota quase não sujou o uniforme. 

O técnico João Neto armou a equipe com três volantes e mais três atacantes, sendo que Diogo Sodré tinha a função de ser o ‘camisa 10’, o que não funcionou. O atleta não conseguia armar e muito menos marcar. Sem meio de campo, o ataque azulino foi presa fácil para a defesa do Lobo. 

O primeiro gol saiu com uma atrapalhada da defesa do Remo. Primeiro que, na cobrança de escanteio, o zagueiro Rafael Jensen deixou Caíque Oliveira sozinho para cabecear, no qual o goleiro Vinícius fez grande defesa. A bola sobrou na área, o defensor azulino tentou cortar, mas a bola foi na perna de Rafael e para o fundo do barbante. 

Já o segundo gol saiu após boa trama do Paysandu, onde Bruno Oliveira passou para Vinícius Leite, aproveitou o buraco na defesa azulina e passou para Paulo Rangel, que chutou de primeira, rasteiro, no canto direito, sem chances para o goleiro Vinícius. 

Já o terceiro gol, após o técnico João Neto substituir o lateral Ronaell pelo meia Echeverría, improvisado na posição, o atacante Elielton passou pelo meia e cruzou na cabeça de Paulo Rangel, a bola ainda beijou a trave e foi morrer no fundo do gol. 

Simplesmente não foi a tarde do Clube do Remo. Logo no início da partida perdeu o zagueiro Mimica, que sofreu uma fratura no tornozelo e foi substituído. Logo em seguida foi o atacante David Batista, que pisou no meia Leandro Lima e tomou o cartão vermelho direto. No fim da partida ainda perdeu o volante Vacaria, que também foi expulso. 

Se nada deu certo para o Clube do Remo, para o Paysandu deu tudo certo. O time foi superior em todos os sentidos, tecnicamente, taticamente e fisicamente. Sem dizer que o técnico João Brigatti deu uma aula em João Neto. 

Foto: Ascom Paysandu

Deixe seu comentário aqui