"Acharam melhor me ridicularizar ao invés de apoiar", diz intérprete de Libras demitida pelo Paysandu

Danuza Grippa foi alvo de críticas em relação ao seu desempenho nas coletivas de imprensa do clube

Foto: Ascom Paysandu

OFutebolista.net 

A intérprete de Língua Portuguesa de Sinais (LIBRAS), Danuza Grippa, foi alvo de muitas críticas sobre o seu desempenho como tradutora, após ser contratada pelo Paysandu, para participar das coletivas de imprensa do clube. A insatisfação foi tão grande, que fez a diretoria bicolor anunciar o seu desligamento. 

Em nota publicada em sua conta em uma rede social, Danuza explica que é tímida e que estava no início de sua carreira. 

"Quem me conhece sabe o quando sou tímida e desenvolver um trabalho diante de varias câmeras e repórteres com certeza seria algo bem difícil. No dia 07 antes de fazer o meu trabalho pensei diversas vezes em desistir, pois o nervosismo tomava conta de mim e é bem notório minha timidez durante a reportagem. A diretoria do Paysandu entrou em contato comigo, no qual eu expliquei que estava no começo da carreira e mesmo assim a diretoria do Paysandu quis prosseguir com o projeto", disse. 

Além do mais, Danuza reconhece que seu desempenho não foi satisfatório. Revelou que foi atacada por outros intérpretes, que estava ganhando muito dinheiro, sendo que a tradutora acertou com o clube de forma voluntária. 

"Meu desempenho com certeza não foi muito satisfatório e eu reconheço isso, mas o que muitas pessoas não sabem é que eu tive que lutar contra meu medo, contra minha vergonha, para conseguir realizar um projeto sobre inclusão. muitos intérpretes vieram me atacar dizendo que eu estava ganhando muito dinheiro sem merecer, dizendo que eu estava me aproveitando dos surdos pra conseguir algo, mas o que eles não sabem foi que eu fiz isso de forma VOLUNTÁRIA, não recebi literalmente nada", explicou Danuza. 

Paysandu anuncia contratação de mais um volante

A intérprete afirma que em dois dias de trabalho, foi julgada e não teve tempo para se adaptar ao projeto. 

"Infelizmente, eu fui julgada por 2 dias de trabalho, eu não tive tempo de me adaptar, eu não tive tempo de mostrar minha melhora porque acharam melhor me ridicularizar ao invés de me apoiar", disse Danuza. 

Para finalizar, a intérprete revelou que ficou abalada com muitos ataques que recebeu do Paysandu e em todos esses dias, recebeu apoio do Paysandu. 

"Tiveram muitos ataques. Eu fiquei alguns dias chorando , fiquei abalada, fiquei digerindo sobre tudo. Quero agradecer também a equipe do Paysandu que me acolheu, me trataram super bem do início ao fim. Ligavam pra saber como eu estava, pois eles sabem que eu não sou uma farsa", finalizou. 
Compartilhe no Google Plus

O Futebolista

    Comente
    Comente no Facebook

0 comentários :