Opinião: Tuna Luso paga caro por ter uma diretoria amadora

Foto: Júnior Borges/Ascom Tuna

Carlos Augusto Matos
@CarlosMat0s

A esperança de conquistar o acesso à elite do futebol paraense chegou ao fim para o torcedor tunante no último sábado. Tudo porque a Tuna perdeu por 1 a o no tempo normal para o Tapajós, no Mangueirão. Com o resultado, a disputa da vaga passou para os pênaltis, onde o Boto venceu por 4 a 3. 

Assim como na temporada passada, a diretoria tunante gastou, montou um time 'galático' e não conseguiu o tão sonhado acesso. Algo que não ocorre há cinco anos. Sempre perdendo para times que, no papel, são inferiores em questão de elenco. 

Na atual temporada os cruzmaltinos contavam com jogadores como Evandro Gigante, Léo Rosa, Ricardo Capanema, Flamel e Jayme. Atletas rodados no futebol paraense, mas que foram contratados por nome e não pelo desempenho na temporada. 

É claro que o goleiro Evandro Gigante tem suas qualidades, mas foi o terceiro goleiro no Clube do Remo, no qual esteve em campo em apenas 13 minutos na temporada. Já o lateral Léo Rosa, defendeu o Independente no Campeonato Paraense e posteriormente o Santos, de Macapá, onde também não conseguiu se destacar.  

Ricardo Capanema não disputava uma partida desde a temporada 2017, ainda pelo Paysandu. Já o meia Flamel defendeu o Castanhal no Parazão deste ano, chegou como a grande estrela e não conseguiu ajudar o time a chegar na fase final da competição. Já o atacante Jayme, apesar de salvar o Clube do Remo do rebaixamento, teve mais baixos do que altos em seu desempenho na temporada. Sem citar Tiago Mandi, que só conseguiu ter bom desempenho no Águia, há dois anos, tanto que entra e sai treinador no Papão e o atleta está sempre fora dos planos. 

Assim, a Tuna Luso pagou mais uma vez para a sua diretoria amadora, que está mais preocupada em contratar jogadores com desempenhos abaixo na temporada, mas que tem nome forte no futebol paraense, do que buscar novos valores, do que formar uma base forte como sempre foi conhecida a Águia Guerreira. 

Enquanto que o Tapajós, com um investimento inferior conta em seu elenco com poucos jogadores rodados no futebol paraense como o goleiro Jader, o lateral Jaquinha e o atacante Silvio, ex-Remo e mesmo assim superou os tunantes. É hora de acordar. 
Compartilhe no Google Plus

O Futebolista

    Comente
    Comente no Facebook

0 comentários :