Ex-jogador do Paysandu é preso em Maceió

Atacante Walter apontou uma arma de brinquedo aos funcionários da Eletrobras

Pelo Paysandu, Walter esteve em campo em 12 partidas e marcou três gols
Foto: Fernando Torres/Ascom Paysandu

Carlos Augusto Matos
@CarlosMat0s

Na tarde desta sexta-feira, o ex-atacante do Paysandu, Walter, foi detido em sua residência, em Maceió, por sacar uma arma de brinquedo para dois funcionários da Eletrobras que estariam lá para cortar a luz. O jogador afirmou que foi tudo foi um mal entendido. 

"O que aconteceu foi um mal entendido, sabe? Eu, com uma arma de brinquedo de casa, que tenho o comprovante que posso ir para qualquer lugar com ela. Nesse momento, o cara foi cortar a luz de casa e eu desci com essa arma. O cara pensou que eu tinha jurado ele, de alguma forma. Não foi isso o que aconteceu. Eu peço desculpas por tudo, o acidente, tudo. Não foi por mal. Quem me conhece, sabe. É isso aí. Foi um momento errado, uma hora errada", disse o jogador. 

Segundo o tenente-coronel Marlon Araújo, um dos funcionários relatou que foi agredido pelo jogador com um tapa no rosto. Já a Eletrobras emitiu nota oficial afirmando que Walter ameaçou os dois trabalhadores.

Ameaça a colaboradores da Eletrobras

A Eletrobras Distribuição Alagoas informa que dois prestadores de serviço foram ameaçados na tarde desta sexta-feira (31) com uma arma, constatada posteriormente ser de brinquedo, ao realizarem uma suspensão de fornecimento de energia no apartamento do jogador Walter Henrique da Silva, localizado no bairro da Ponta Verde. O imóvel possuía fatura em atraso. Os eletricistas foram à Central de Flagrantes prestar os esclarecimentos necessários à Polícia.

A Eletrobras lembra que os clientes devem sempre observar as notificações descritas na fatura de energia. Eventuais faturas em aberto e o prazo para suspensão do fornecimento são informados na conta seguinte. A Eletrobras aponta ainda que o medidor de energia é propriedade da Distribuidora, e o acesso ao equipamento deve ser mantido livre e sem impedimentos para inspeções e outras ações dos técnicos da Empresa. A Eletrobras considera inadmissíveis ameaças a colaboradores e sempre atuará no combate desse tipo de atitude.
Compartilhe no Google Plus

Carlos Augusto Matos

    Comente
    Comente no Facebook

0 comentários :