Para alavancar as obras no Baenão, empresa carioca poderá injetar R$ 1 milhão

Milton Campos está no Rio de Janeiro tentando fechar parceria

Baenão está fechado desde 2014 - Foto: Divulgação

Por O Futebolista

Após a torcida pôr em prática a revitalização do Estádio Baenão, com o projeto denominado “Retorno do Rei ao Baenão”, nesta sexta-feira, dia 20, o plano pode ganhar mais força financeira através de uma parceria entre a comissão de futebol do Clube do Remo, encabeçada por Milton Campos, e uma empresa carioca. A intenção é receber um valor de R$ 1 milhão para ser injetado na obra da praça esportiva azulina. Em troca, a tal empresa terá benefícios que serão ajustados neste encontro de hoje. 

Fechado desde a temporada de 2014, o Estádio Evandro Almeida tentou virar uma arena, que o presidente à época, Zeca Pirão, vislumbrou-se com a Copa do Mundo no Brasil. Porém, o plano de Pirão deu errado e o Baenão ficou totalmente abandonado com as obras que nem começaram. Só houve a destruição das arquibancadas para depois seria iniciada a obra. Há quem diga que o lado financeiro pesou para dar o pontapé inicial.

Intitulada de Arena Baenão, o Evandro Almeida teria vidro blindex, camarotes e salas VIP’s (da mesma forma que na Vila Belmiro, Estádio do Santos), mas que não saíram da “planta”.

Projeto Retorno do Rei ao Baenão

Segundo dados transparentes da comissão do projeto, já foram gastos na revitalização um total de R$ 3.380,00, sendo R$ 1.830,00 de despesas operacionais (como alimentação, transporte, material de pintura e tintas) e R$ 1.550 com mão de obra, no estádio.
Compartilhe no Google Plus

Pallmer Barros

    Comente
    Comente no Facebook

0 comentários :